Escolha uma Página

Por que você deve Excluir “Eu sou fotógrafo(a)” do seu vocabulário

por | out 8, 2015 | 37 Comentários

Eu sei, o título pode te um tom de sensacionalismo, mas pense comigo e me diga se estou errado:

Se você, eu, e todo mundo que ler este post forem colocados em uma sala, em um evento de networking, posso quase que garantir que 75% das introduções das pessoas seriam mais ou menos como esta …

Oi! Eu sou isso e aquilo. Eu sou fotógrafo e fotografo coloque o assunto aqui.

O problema fica ainda mais aparente quando existem centenas de nós dizendo a mesma coisa. Isso é o que fazemos? Sim! Mas não é diferente de ninguém nesse mercado e não é sequer uma boa maneira de expor o que fazemos.

Afinal de contas, nós não somos máquinas. Nós não produzir os mesmos resultados ou experiências. E que não produzem a mesma solução para o mesmo problema.

Com mais de 50 mil pessoas cadastradas como fotógrafos só no Facebook Brasil, como você se diferencia?

É muito, mas muito difícil descobrir o que você faria de diferente da maioria. Empresas (e não somente as relacionadas a fotografia) luram com isso, às vezes por anos antes de descobrir isso. O que vem a seguir são ótimos atalhos que irão ajudá-lo a descobrir isso de uma forma muito, muito mais rápida.

Como ter uma “luz” e descobrir o que você realmente faz.

Se estivéssemos sentados, tomando um café, seria muito mais fácil orientá-lo através deste exercício. Mas já que não estamos juntos, você vai ter que confiar em mim, e (aviso!) você terá que falar com você mesmo um pouco.

Se você não gosta de falar sozinho ou acha que é improdutivo ou ineficaz, encontre um amigo solidário e pratique com ele.

Antes de começar, existem 3 regras:

REGRA #1: Você não tem permissão para usar as palavras “fotógrafo(a)” ou “fotografia” enquanto fazemos esse exercício.

REGRA #2: Continue, e não se deixe abater porque você se sente bobo, idiota ou como se você não estivesse chegando a lugar nenhum. A resposta está lá, esperando ser descoberta.

REGRA #3: Seja honesto.

Ok, agora estamos prontos, vamos fazer isso.

PASSO 1: Pergunte a você mesmo: “O que eu faço?” Exponha e anote a primeira resposta que vier à mente (lembre-se, você não está autorizado a usar “fotógrafo(a)” ou “fotografia”).

PASSO 2: Pergunte a você mesmo “Mas o que você realmente faz?” Três vezes, cada vez expondo e anotando uma resposta e desafiando a si mesmo a responder a mesma pergunta novamente com uma resposta diferente a cada vez.

PASSO 3: Verifique se o sua terceira e última resposta concentra um pouco do seu público-alvo. Se você sente que você pode estar tentando ser tudo pra todo mundo, repita o passo dois novamente. Por quê? Porque tentando ser tudo para todo mundo faz você especial em nada. E eu sei que você tem algo fantástico e especial dentro de você, e o mundo tem que saber disso.

Se você já passou pelos passos acima uma vez, duas vezes ou se você tiver repetido umas 100 vezes (vai você!) Você está muito mais perto do que você realmente faz no seu negócio.

Já que não estamos tomando um café, como posso saber se a minha resposta à pergunta “O que você faz?” está certa ou errada?

Em primeiro lugar, não existe certo ou errado. Você odeia isso, né? Mas eu vou te dar algumas sugestões a fim de dizer se você está perto ou não.

Você está perto da perfeição, se:

  1. Você acredita que pode tocar alguém emocionalmente e fazer essa pessoa responder com “Mesmo? Me fale mais sobre isso!”
  2. Você não consegue imaginar que muitos fotógrafos poderão dizer a mesma coisa (ou que terão a coragem de dizer a mesma coisa).
  3. Você já testou com algumas pessoas e levantou algumas sobrancelhas ou despertou a atenção delas.

Vamos conversar!

Publique a sua resposta para a pergunta: “O que você faz?” E eu vou comentar o que acho. Além disso, você verá as idéias de outras pessoas e pode ter algumas excelentes idéias para você mesmo.

Adoraria ler seus comentários e estou ansioso para te dar algumas sugestões.